Painéis de Contribuição 2020: Infância e Juventude

A Gestão Estratégica continua avançando. Para tanto membros e servidores com atuação em Infância e Juventude  participaram no dia 29/11 de oficina de trabalho objetivando construir o seu  Painel de Contribuição para o ano de 2020.

O Painel de Contribuição é a ferramenta para o desdobramento da estratégia que visa assegurar, em uma organização, o alinhamento  OBJETIVOS  – METAS  – INICIATIVAS.  Ele registra: os objetivos de contribuição, relacionados aos objetivos estratégicos;  os indicadores para os objetivos de contribuição; as metas para cada objetivo de contribuição;  as iniciativas que visam como atingir  as metas propostas.

Os trabalhos conduzidos pela Assessoria Ministerial de Planejamento e Estratégica Organizacional (AMPEO) por meio da Gerência de Planejamento. Os participantes ficaram divididos em três grupos: Crimes Contra Crianças, Atos Infracionais e Extrajudicial.  E, construindo de forma coletiva e participativa chegaram seguintes resultados foram obtidos: 6 objetivos de contribuição e 21 iniciativas estratégicas que serão deflagradas a partir de janeiro com prazo de conclusão até dezembro de 2020.

Ao final foram apresentados os painéis construídos de cada área.  Todo material será compilado pela AMPEO e em breve disponibilizado na intranet e no Portal da Transparência.

Painéis de Contribuição 2020: Criminais por Distribuição, Promotorias do Júri, Execuções Penais, Juizados Criminais, Juizado do Torcedor, Violência Doméstica e Auditoria Militar

A Gestão Estratégica 2018-2023 avança com o seu desdobramento. Para tanto duas oficinas de trabalho foram realizadas. Membros e servidores que atuam nas seguintes áreas: Criminais por Distribuição, Promotorias do Júri, Execuções Penais, Juizados Criminais, Juizado do Torcedor, Violência Doméstica e Auditoria Militar, estiveram presentes nos eventos  nos dias 27 e 28 /novembro, e, cada área estratégica pode  construir o seu  Painel de Contribuição que será executado em 2020.

O Painel de Contribuição é a ferramenta para o desdobramento da estratégia que visa assegurar, em uma organização, o alinhamento  OBJETIVOS  – METAS  – INICIATIVAS.  Ele registra: os objetivos de contribuição, relacionados aos objetivos estratégicos;  os indicadores para os objetivos de contribuição; as metas para cada objetivo de contribuição;  as iniciativas que visam como atingir  as metas propostas.

Os trabalhos foram abertos pelo Secretário Geral e conduzidos pela Assessoria Ministerial de Planejamento e Estratégica Organizacional (AMPEO) por meio da Gerência de Planejamento e Gestão.

Nos dois dias de trabalho foi elencado um total de 21 Objetivos Estratégicos e 27 Iniciativas Estratégicas, que serão executados ao longo de 2020, e desta forma cada área contribui para a consolidação do planejamento institucional.

  

Todos os painéis serão compilados pela AMPEO em seguida enviados para as áreas e posteriormente disponibilizados no Portal da Transparência.

 

Painéis de Contribuição 2020: Cíveis por distribuição, Família, Sucessões e do Núcleo de Apoio a Família (NAF)

A Gestão Estratégica 2018-2023 avança agora com a etapa desdobramento. Para tanto Membros e servidores das áreas: Cíveis por distribuição, Família, Sucessões e do Núcleo de Apoio a Família (NAF), participaram no dia 21/11 de uma oficina de trabalho objetivando cada área estratégica construir o seu  Painel de Contribuição para o ano de 2020.

Os trabalhos conduzidos pela Assessoria Ministerial de Planejamento e Estratégica Organizacional (AMPEO) por meio da Gerência de Planejamento com o apoio de membro do Núcleo de Gestão Estratégica.

O Painel de Contribuição é a ferramenta para o desdobramento da estratégia que visa assegurar, em uma organização, o alinhamento  OBJETIVOS  – METAS  – INICIATIVAS.  Ele registra: os objetivos de contribuição, relacionados aos objetivos estratégicos;  os indicadores para os objetivos de contribuição; as metas para cada objetivo de contribuição;  as iniciativas que visam como atingir  as metas propostas.

A dinâmica dos trabalhos desenvolvidos  consistiram nos seguintes passos:

  • Escolher os Objetivos Estratégicos
  • Definir os Objetivos de Contribuição
  • Definir as iniciativas de contribuição com respectivos prazos
  • Estabelecer os Indicadores
  • Determinar o responsável

Os seguintes resultados foram obtidos:

Cíveis por distribuição – 2 objetivos de contribuição e 2 iniciativas

Família – 1 objetivos de contribuição e 4 iniciativas

Sucessões – 1 objetivo de contribuição e 2 iniciativas

NAF – 2 objetivos de contribuição e 2 iniciativas

Por fim foram apresentados os painéis construídos de cada área.  Todo material está sendo compilado pela AMPEO e em breve será disponibilizado na intranet e no Portal da Transparência.

 

 

 

 

Painéis de Contribuição 2020: Patrimônio Público, Fundações e Fazenda.

No dia 20/11 o Secretário Geral do MPPE  fez abertura da  oficina Painel de Contribuição para o desdobramento da Gestão Estratégica 2018-2023, onde estiverem presentes  membros e servidores das áreas: Patrimônio Público, Fundações e Fazenda.

O Painel de Contribuição é a ferramenta  para o desdobramento da estratégia que visa assegurar, em uma organização, o alinhamento  OBJETIVOS  – METAS  – INICIATIVAS.  Ele registra: os objetivos de contribuição, relacionados aos objetivos estratégicos;  os indicadores para os objetivos de contribuição; as metas para cada objetivo de contribuição;  as iniciativas que visam como atingir  as metas propostas.

Os trabalhos conduzidos pela Assessoria Ministerial de Planejamento e Estratégica Organizacional (AMPEO) por meio da Gerência de Planejamento e Gestão.  Os participantes tinham como tarefa partirem da escolha do Objetivo Estratégico previsto no mapa institucional até definir as iniciativas de contribuição com seus respectivos prazos e responsável.

O resultado final da oficina ficou distribuído da seguinte forma:

Patrimônio Público: 2 Objetivos de Contribuição e 3 Iniciativas Estratégicas

Fundações: 2 Objetivos de Contribuição e 4 Iniciativas Estratégicas

Fazenda : 1 Objetivo de Contribuição e 2 Iniciativas Estratégicas.

Os painéis serão compilados pela AMPEO e remetidos para cada área participante e também serão disponibilizados na intranet e no Portal da Transparência.

Painéis de Contribuição 2020: Saúde, Central de Inquéritos e do Núcleo de Não Persecução Penal.

O Secretário Geral do MPPE fez nos dias 18 e 19//11 a abertura das oficinas Painéis de Contribuição para o desdobramento da Gestão Estratégica 2018-2023. Desta vez participaram membros e servidores das áreas: Saúde, Central de Inquéritos e do Núcleo de Não Persecução Penal

O Painel de Contribuição é a ferramenta para o desdobramento da estratégia que visa assegurar, em uma organização, o alinhamento  OBJETIVOS  – METAS  – INICIATIVAS.  Ele registra: os objetivos de contribuição, relacionados aos objetivos estratégicos;  os indicadores para os objetivos de contribuição; as metas para cada objetivo de contribuição;  as iniciativas que visam como atingir  as metas propostas.

Os trabalhos conduzidos pela Assessoria Ministerial de Planejamento e Estratégica Organizacional (AMPEO) por meio da Gerência de Planejamento com o apoio de membro do Núcleo de Gestão Estratégica dividem-se nas etapas:

  • Escolher os Objetivos Estratégicos
  • Definir os Objetivos de Contribuição
  • Definir as iniciativas de contribuição com respectivos prazos
  • Estabelecer os Indicadores
  • Determinar o responsável


Ao final foram compilados 9 objetivos de contribuição com 18 iniciativas estratégica distribuídas da seguinte forma:

Saúde: 4 Objetivos de Contribuição e 7 Iniciativas Estratégicas

Central de Inquéritos: 4 Objetivos de Contribuição e 8 Iniciativas Estratégicas

Núcleo de Não Persecução Penal : 1 Objetivo de Contribuição e 3 Iniciativas Estratégicas

Todo material está sendo compilado pela AMPEO e em breve será disponibilizado na intranet e no Portal da Transparência.

Painéis de Contribuição 2020: Consumidor, Acidentes de Trabalho, Transportes, Propriedade Rural, Meio Ambiente e Habitação e Urbanismo.

A Gestão Estratégica 2018-2023 avança agora com a etapa desdobramento. Para tanto Membros e servidores das áreas: Consumidor, Acidentes de Trabalho, Transportes, Propriedade Rural, Meio Ambiente e Habitação e Urbanismo, participaram no dia 13/11 de uma oficina de trabalho objetivando cada área estratégica construir o seu  Painel de Contribuição para o ano de 2020.

O Painel de Contribuição é a ferramenta para o desdobramento da estratégia que visa assegurar, em uma organização, o alinhamento  OBJETIVOS  – METAS  – INICIATIVAS.  Ele registra: os objetivos de contribuição, relacionados aos objetivos estratégicos;  os indicadores para os objetivos de contribuição; as metas para cada objetivo de contribuição;  as iniciativas que visam como atingir  as metas propostas.

O trabalho foi conduzido de acordo com os seguintes passos:

  • Escolher os Objetivos Estratégicos
  • Definir os Objetivos de Contribuição
  • Definir as iniciativas de contribuição com respectivos prazos
  • Estabelecer os Indicadores
  • Determinar o responsável

Os trabalhos conduzidos pela Assessoria Ministerial de Planejamento e Estratégica Organizacional (AMPEO) por meio da Gerência de Planejamento com o apoio de membro do Núcleo de Gestão Estratégica.

Ao final foram compilados 15 objetivos de contribuição com 23 iniciativas estratégica

Por fim foram apresentados os painéis construídos de cada área.  Todo material está sendo compilado pela AMPEO e em breve será disponibilizado na intranet e no Portal da Transparência.

Desdobramento da Gestão Estratégica do MPPE chega às 7ª e 8ª Circunscrições

Imagem

Os promotores de Justiça que atuam nos municípios da 7ª Circunscrição do Ministério Público de Pernambuco (Água Preta, Belém de Maria, Catende, Joaquim Nabuco, Lagoa dos Gatos, Maraial, Jaqueira, Palmares e Quipapá) e da 8ª Circunscrição (Amaraji, Barreiros, Cabo de Santo Agostinho, Cortês, Escada, Gameleira, Ipojuca, Primavera Ribeirão, Rio Formoso, São José da Coroa Grande, Sirinhaém e Tamandaré) participaram da oficina de desdobramento do ciclo 2018-2023 da Gestão Estratégica do MPPE, nesta segunda-feira (21), no edifício Ipsep, no bairro de Santo Antônio.

Com as informações obtidas no encontro, os promotores de Justiça escolhem os projetos estratégicos dentro do portfólio do MPPE e os adotam, em conformidade com o mapa estratégico institucional, para responder aos problemas de seu município e de sua circunscrição. Além disso, a reunião serviu para criar elementos facilitadores da atuação dos membros e promover um espírito de trabalho de equipe na região, que resultarão em uma melhor prestação de serviço do MPPE à sociedade.


“O desafio é construir coletivamente soluções dentro de um cenário que apresenta dificuldades, aderindo aos projetos na perspectiva da gestão estratégica. Com a adesão por circunscrição, os promotores de Justiça tendem a alcançar resultados em ações que vão impactar no dia a dia das populações”, revelou o integrante do Núcleo de Gestão Estratégica do MPPE, o promotor de Justiça Eduardo Borba Lessa. “São projetos elaborados por membros e servidores para que seus efeitos sejam atingidos da forma mais rápida e eficiente possível, otimizando tempo e recursos”, completou ele.

São 25 projetos estratégicos do MPPE já aprovados previamente. As diretrizes que norteiam os projetos são transformação social (como muda a vida das pessoas para melhor), indução de políticas públicas (como influenciar nas atitudes da gestão pública para o bem da população) e inovação (pensar soluções diferentes para desafios e problemas).

“A sociedade quer atitudes que resultem em entregas concretas. Assim, é preciso que cada circunscrição abrace os projetos com a certeza de que vão impactar em seus municípios”, lembrou a promotora de Justiça Alice Morais, que atua no Cabo de Santo de Agostinho e também integra o Núcleo de Gestão Estratégica do MPPE. “A oportunidade de aderir a um projeto por circunscrição dá aos promotores de Justiça a vantagem de atuar em bloco sobre um problema”, avaliou ela.

Os presentes ainda assistiram a um vídeo com depoimentos de cidadãos e promotores de Justiça mostrando o êxito de projetos estratégicos aplicados em municípios como Garanhuns, Caruaru e até no distrito estadual de Fernando de Noronha.

O coordenador do Projeto Cidade Pacífica, o promotor de Justiça Luis Sávio Loureiro, apresentou o projeto e relatou o sucesso obtido nos municípios que o adotaram. “É um projeto simples, que não dá muito trabalho e não requer muitos recursos municipais”, pontuou ele. “Tratam-se de ações efetivas, distribuídas em eixos, que a Prefeitura pode implantar para fomentar a segurança pública e prevenir a violência, como melhor iluminação nas ruas, patrulhamento em bares, aparelhamento da guarda municipal, etc”, resumiu Luís Sávio Loureiro.

Apesar de já possuir um portfólio com 25 projetos, a Gestão Estratégica do MPPE está aberta para captar sugestões de novas iniciativas. “O planejamento estratégico está em constante adaptação e adição de ideias. Se algum promotor de Justiça quiser contribuir, será bem-vindo e sua ideia analisada. Não há engessamento”, afirmou Eduardo Borba Lessa.

*texto da AMCS e publicado originalmente no sitio do MPPE em 21 10 2019

Representantes do Ministério Público do Trabalho conhecem iniciativa de planejamento e tecnologia do MPPE

“Nós conhecemos o MPLabs, que é reconhecido nacionalmente como um case de sucesso entre os MPs, e também na própria administração pública por inovação aberta e soluções em que é possível conseguir contribuições da sociedade. Lá do MPT queremos implantar uma unidade semelhante a do MPPE. O MPLabs é o norte do que queremos executar no MPT e temos muitas demandas na área de tecnologia da informação, principalmente porque temos uma grande deficiência de pessoal”, disse o presidente do Comitê Estratégico de Tecnologia da Informação do MPT (Ceti-MPT) e secretário de Pesquisa e Análise de Informação, o procurador Fabio Kozak.
 
A equipe de gestão estratégica do MPPE realizou apresentação ao grupo do MPT abordando desde a estrutura hierárquica da instituição, passando pelo processo de formação e gestão do planejamento, chegando aos indicadores e métodos de acompanhamento. “Conheci a iniciativa de gestão estratégica do MPPE e fiquei admirada com o planejamento, que é muito amadurecido e disseminado na instituição. A troca foi muito profícua e queremos levar diversas ferramentas para Brasília. Recebemos diversos documentos e o detalhamento das apresentações nos permite ver o quanto podemos avançar e nos equiparar ao MPPE”, disse a secretária de Planejamento e Gestão Estratégica do MPT, a procuradora Letícia Vieira.
“A troca de experiências é essencial para a composição de um novo Ministério Público. Sendo essencial, ainda, a parceria com o MPT, outras unidades do Ministério Público e outros entes, sempre buscando a excelência administrativa. Esperamos que essa troca de experiências seja profícua entre os dois MPs”, disse o secretário-geral do Ministério Público, Maviael Souza.
* Texto e imagens produzidos pela AMCS e publicados originalmente no sitio do MPPE em 03/10/2019

Gestão Estratégica 2018-2023 é Apresentada para Novos Promotores.

Em 26/09/2019, cinquenta e oito promotores entre novos e em processo de vitaliciamento, participaram de evento onde tomaram conhecimento de como se dá o processo da Gestão Estratégica 2018-2023. O evento aconteceu nas instalações da Escola Superior do MPPE e foi conduzido pelo Promotor de Justiça Dr. Eduardo Henrique Borba Lessa (membro do Núcleo Executivo) e por servidores da Assessoria de Planejamento (AMPEO).

Inicialmente foi apresentado de forma resumida o processo histórico da implantação dos planejamentos estratégicos no MPPE, desde o seu primeiro ciclo em 1999 até o atual 2018-2023.  De forma breve também foi demonstrada a Estrutura Analítica, onde constam todas as etapas desenvolvidas e a desenvolver do atual ciclo.

Em seguida, para uma melhor compreensão os participantes foram instados a participarem de duas dinâmicas desenvolvidas na construção do Mapa Estratégico.

Dinâmica um: Lista de Demandas

Elaborada utilizando os insumos construídos na fase preliminar: Encontro com os Movimentos Sociais, Pesquisa Externa (população), Pesquisa Interna (grupos focais), Entrevistas externas e dados coletados da Ouvidoria. Com base nesse material, a lista de demandas contém 123 itens que estavam associados a um ou mais objetivos estratégicos. Individualmente, cada membro participante classificou cada uma das necessidades de acordo com os critérios: essencial, importante, desejável ou irrelevante. Dessa maneira, eles já estavam de maneira indireta fazendo uma primeira priorização dos objetivos contidos na cesta de objetivos estratégicos.

Dinâmica dois: Priorização dos objetivos estratégicos

Momento na oficina onde os membros tinham contato direto com a cesta de objetivos estratégicos. Essa atividade foi desenvolvida em grupo, onde eles deveriam comparar cada objetivo estratégico com todos os demais. A comparação era numérica, obedecendo ao  seguinte critério de classificação: muito mais importante (9), mais importante (7), igual (5), menos importante (3), muito menos importante (1). A seguir, esses dados foram tabulados para ter uma ideia do grau de priorização dos objetivos estratégicos.

As dinâmicas tinham por objetivo aferir a atualidade do Mapa Estratégico, indicando sua ratificação ou apontar tendências.

Ao final, foram apresentados os resultados tabulados pela equipe de apoio da AMPEO. Os objetivos escolhidos coincidem íntegralmente com o Mapa Estratégico, demonstrando assim sua atualidade.

Oficina da Gestão Estratégica chega a promotores de Justiça da 9ª Circunscrição do MPPE

Os promotores de Justiça que atuam nos municípios da 9ª Circunscrição do Ministério Público de Pernambuco (Abreu e Lima, Goiana, Olinda, Igarassu, Itamaracá, Itapissuma e Paulista) se reuniram, nesta segunda-feira (23), em Olinda, para participarem da oficina de desdobramento do 2018-2023 da Gestão Estratégica do MPPE.

O objetivo foi escolher os projetos que cada Promotoria de Justiça pode adotar em conformidade com o mapa estratégico institucional para responder aos problemas de seu município. Além disso, criar elementos facilitadores da atuação dos membros e promover um espírito de trabalho de equipe na região que resultarão em uma melhor prestação de serviço do MPPE à sociedade.

“Precisamos repensar nossas ações para diferenciar nossos resultados. Assim, a população sentirá a presença do MPPE”, salientou o promotor de Justiça Antonio Fernandes, integrante do Núcleo de Gestão Estratégica. Segundo ele, o planejamento e a inclusão de planos estratégicos em cada Promotoria de Justiça fomentam efeitos positivos para a sociedade.

Os promotores de Justiça ficaram a par dos 25 projetos estratégicos do MPPE, já aprovados previamente, e que fazem parte do portfólio institucional. As diretrizes que norteiam os projetos são transformação social (como muda a vida das pessoas para melhor), indução de políticas públicas (como influenciar nas atitudes da gestão pública para o bem da população) e inovação (pensar soluções diferentes para desafios e problemas).

“O promotor de Justiça tende a se isolar em seus trabalhos. No planejamento passado, no qual participei, via a oportunidade de conseguir a atuação conjunta e vê-la dar resultados positivos e visíveis para a população”, revelou a promotora de Justiça Alice Morais, que atua no Cabo de Santo Agostinho, é integrante do Núcleo de Gestão Estratégica e contou sua experiência aos colegas da 9ª Circunscrição.

Os presentes ainda assistiram a um vídeo com depoimentos de cidadãos e promotores de Justiça mostrando o êxito de projetos estratégicos aplicados em municípios como Garanhuns, Caruaru e até no distrito estadual de Fernando de Noronha.

Com o monitoramento das iniciativas durante a execução dos projetos, acompanharemos de perto o trabalho das Promotorias de Justiça em busca de melhores resultados”, afirmou o gerente ministerial de Programas e Projetos José Arnaldo Guimarães.

Texto da AMCS e publicado originalmente no sítio do MPPE em 23 09 2019.