Procuradores de Justiça colaboram com a Gestão Estratégica do ciclo 2018-2023

06/04/2018 – Os procuradores de Justiça se reuniram nesta sexta-feira (6), nas dependências da Faculdade Salesiana do Nordeste (Fasne), na Boa Vista, para a quarta oficina regional de Gestão Estratégica do Ciclo 2018-2023, com o objetivo de darem sua contribuição para o mapa estratégico que o Ministério Público de Pernambuco usará como norte de ações para os próximos seis anos. O encontro tem o apoio institucional da Fasne.

A assessora ministerial de Planejamento e Estratégia Organizacional, Sueli Nascimento, explicou os conceitos dos objetivos estratégicos da área fim do MPPE Público e os seus desdobramentos, na forma de projetos e iniciativas institucionais. “O planejamento estratégico visa definir as prioridades do MPPE”, comentou ela.

A equipe da Gestão Estratégica entregou aos procuradores presentes uma lista de demandas sociais colhidas em oficinas com a sociedade. Cada procurador elencou os itens conforme uma escala de prioridades, a fim de que os resultados fossem tabulados para gerar um banco de dados estruturado.

A partir do cruzamento da relevância atribuída a cada temática pela sociedade e pelos membros do MPPE serão selecionados os pontos considerados como prioritários, que vão constituir os objetivos estratégicos do mapa que será usado no ciclo 2018-2023.

Nos encontros realizados anteriormente, este mês e no mês passado, foram consultados os promotores de Justiça. Segundo Sueli Nascimento, após a colaboração dos procuradores de Justiça chega a vez dos servidores. “Ao finalizarmos a perspectiva de resultados institucionais, teremos a oficina com a atividade meio para definir qual o suporte a ser dado ao que foi definido como prioridade”, explicou ela.

A previsão é que, no próximo dia 13, os gerentes de divisão, de departamento, coordenadores da atividade meio do MPPE e também administradores de sede, tanto da capital quanto do interior, estarão reunidos para trabalhar a perspectiva de processos internos, de pessoal, tecnologias, orçamento e comunicação necessários para o ciclo 2018-2023.

 

Gestão estratégica colhe contribuições dos promotores Cíveis e de Cidadania da Capital

   

05/04/2018 – Os promotores de Justiça Cíveis e de Cidadania, que atuam na Capital, participaram, nesta quinta-feira (5), da quarta oficina Regional da Gestão Estratégica do Ciclo 2018-2023 no Ministério Público de Pernambuco (MPPE), coordenada pela Assessoria Ministerial de Planejamento. O evento se deu nas dependências da Faculdade Salesiana do Nordeste (Fasne), na Boa Vista, com o apoio institucional da Fasne.

Eles debateram e elencaram os novos rumos da Instituição para os próximos seis anos, de acordo com o que consideram ações prioritárias do MPPE para trazer mais cidadania e justiça à sociedade pernambucana.

“Nossa missão é ser uma Instituição próxima do cidadão, transformadora da realidade social e com efetividade e respeito às necessidades da população”, frisou a subprocuradora para Assuntos Institucionais, Lúcia de Assis, que representou o procurador-geral de Justiça, Francisco Dirceu Barros.

O encontro foi mais um dos agendados neste início de ano para que os promotores e procuradores de Justiça façam uma construção coletiva do planejamento estratégico do MPPE. “Queremos ouvir os colegas para elaborar conjuntamente a nossa gestão nos próximos seis anos e aplicá-la de forma discutida e consensual”, comentou Lúcia de Assis.

Com a definição das prioridades do MPPE para o ciclo 2018-2023, o mapa estratégico será formatado de modo a embasar os projetos, metas, processos, automação, infraestrutura, otimização de recursos e capacitação de pessoal para que a atividade fim consiga atingir resultados satisfatórios dentro das demandas escolhidas como prioritárias.

“O planejamento estratégico trata-se de um processo contínuo, que vai se renovando e melhorando”, afirmou o promotor de Justiça Eduardo Lessa, que atua na Capital e faz parte do Núcleo de Gestão Estratégica do MPPE.

Os presentes participaram de oficinas, nas quais traçaram, sozinhos e depois em grupos, as demandas sociais que consideram as mais importantes a serem tratadas pelo MPPE. Os servidores participantes da Gestão Estratégica coletam os dados e os tabulam para montarem o mapa das prioridades.

 

 

]

 

 

Promotorias especializadas da Capital participam de oficina da Gestão Estratégica do MPPE

         “Para saber onde quer chegar, primeiro você tem que saber onde está.” Com essa afirmação, o procurador-geral de Justiça, Francisco Dirceu Barros, convidou os promotores de Justiça Criminais da capital a participarem da quarta oficina Regional da Gestão Estratégica do Ciclo 2018-2023 no Ministério Público de Pernambuco (MPPE), coordenada pela Assessoria Ministerial de Planejamento. O encontro ocorreu nesta quarta-feira (4), nas dependências da Faculdade Salesiana do Nordeste (Fasne), no bairro da Boa Vista, com o apoio institucional da Fasne.

“Planejar é essencial para o sucesso de uma empresa e eu entendo o MPPE como uma grande empresa, uma empresa social”, afirmou o procurador-geral de Justiça, reforçando que a Instituição é pioneira no Brasil na elaboração de planejamento estratégico. “Antes, o planejamento era feito por empresas de fora, por pessoas que tinham um olhar de fora pra dentro. Pela primeira vez conseguimos montar uma equipe totalmente do MP, pois se você quer planejar um produto, primeiro precisa conhecê-lo”, destacou Dirceu Barros.

“É preciso construir projetos a partir dos quais a sociedade comece a perceber a presença do Ministério Público. O grande desafio desse ano é que a gente possa acompanhar de forma mais pontual no interior do Estado e na capital a aplicação dos projetos, e é através da gestão estratégica que a gente consegue de fato planejar, executar, acompanhar essas execuções e mostrar os resultados”, reforçou o promotor de Justiça Antônio Fernandes, integrante do Comitê Gestor da Gestão Estratégica.

Após as apresentações iniciais de metodologia de trabalho, foram realizadas atividades com os promotores para definição dos objetivos estratégicos do mapa que será usado no ciclo 2018-2023, a partir das demandas sociais colhidas em oficinas com a sociedade. A programação das oficinas continua amanhã (5), com as promotorias Cíveis e de Cidadania da Capital.

 

Gestão Estratégica do MPPE promove no Recife quarta oficina para definir objetivos do ciclo 2018-2023

Membros do Ministério Público de Pernambuco (MPPE) se reuniram, na terça-feira (3), na quarta oficina regional de Gestão Estratégica do Ciclo 2018-2023. O encontro foi realizado nas dependências da Faculdade Salesiana do Nordeste (Fasne), no bairro da Boa Vista, com o apoio institucional da Fasne.

Já no início da oficina, o procurador-geral de Justiça, Francisco Dirceu Barros, apontou o pioneirismo do MPPE, que iniciou as atividades de planejamento estratégico no ano de 1999. O chefe da Instituição defendeu a busca constante por resultados, rapidez e excelência na prestação dos serviços para os cidadãos pernambucanos. “Nosso MP precisa caminhar para o futuro e de forma rápida. Temos dados de pesquisa realizada em todo o Estado que mostra como a sociedade ainda não conhece o MPPE. Nós devemos chegar mais perto da população”, defendeu.

Após a abertura da oficina, a assessora ministerial de Planejamento e Estratégia Organizacional Sueli Nascimento explicou todas as etapas da oficina, além de apresentar os conceitos dos objetivos estratégicos da área-fim do Ministério Público e os seus desdobramentos, na forma de projetos e iniciativas institucionais.

Já o promotor de Justiça Antônio Fernandes, integrante do Comitê Gestor da Gestão Estratégica, abordou a difusão da cultura do planejamento dentro do MPPE. “Temos que olhar para o passado na perspectiva de compreender erros e acertos. Já estamos há quase 20 anos pensando e fazendo a gestão estratégica, que começou com poucas pessoas e o suporte de profissionais externos. Hoje já amadurecemos esse trabalho, temos uma equipe própria com o conhecimento da técnica e do funcionamento da casa e estamos ouvindo o público interno, os movimentos sociais e instituições parceiras, como a OAB, Tribunal de Contas e Tribunal de Justiça, dentre outras”, reforçou Fernandes.

A equipe da Gestão Estratégica entregou aos promotores de Justiça presentes uma lista de demandas sociais colhidas em oficinas com a sociedade. Cada promotor elencou os itens conforme uma escala de prioridades, a fim de que os resultados fossem tabulados para gerar um banco de dados estruturado. A partir do cruzamento da relevância atribuída a cada temática pela sociedade e pelos membros do MPPE serão selecionados os pontos considerados como prioritários, que vão constituir os objetivos estratégicos do mapa que será usado no ciclo 2018-2023.